Seja Bem-Vindo!

PÁGINA INICIAL (Home)

Dica: Utilize a pesquisa personalizada do blog para assuntos específicos em relação ao ceratocone.

Este blog tem o compromisso de divulgar informações precisas e atualizadas sobre o ceratocone e as opções de tratamento, cirurgias e especialmente da reabilitação visual com uso de óculos ou lentes de contato.

Pesquisar este blog

Carregando...

terça-feira, 19 de agosto de 2008

PROTOCOLOS DE TRATAMENTO DO CERATOCONE

Os meios de comunicação tem noticiado com alguma freqüência sobre tratamentos gratuitos para o ceratocone em alguns hospitais. Naturalmente a notícia é um alento para aqueles que estão procurando alternativas de tratamento com menor custo ou gratuito. Os pacientes se inscrevem e são selecionados de acordo com critérios estabelecidos pela equipe de oftalmologistas, e se estiverem dentro do critério entram na fila para serem examinados, no que é chamado de pré-seleção. Depois de verificada a indicação para determinado tratamento, o paciente aguardá até ser chamado e inicia-se o tratamento.

Uma coisa que precisamos estar atentos quando falamos em tratamentos alternativos é que não são tratamentos simples, são estudos científicos e clínicos geralmente experimentais nos quais o paciente tem que assinar um termo de consentimento informado no qual ele atesta que está se submetendo a um tratamento experimental e que reconhece os possíveis resultados e efeitos colaterais conhecidos que podem ocorrer. O tratamento do Crosslinking (CXL), mais conhecido como Crosslink apenas, é um destes tratamentos. Maiores informações sobre este tratamento você pode encontrar aqui no Blog em publicação de outro dia e mês.

É importante que os pacientes que submetem-se ou que pretendem apresentar-se a estes serviços, saibam que é um tratamento experimental. Embora seja promissor, ainda está em estudos em vários países. Nos EUA por exemplo, o Crosslink é um tratamento absolutamente experimental, não é pago e somente clínicas e serviços de oftalmologia específicos
estão habilitados a aplicar o tratamento, sob rígida vigilância e protocolo de segurança do FDA (Food & Drug Administration). Também é importante mencionar que os primeiros casos tratados no mundo foram realizados há aproximadamente 8 anos, o mais antigo tem 10 anos de acompanhamento, mas estes são poucos casos apresentando uma amostragem muito pequena, logo os especialistas e autoridades não podem considerar estes casos, mas sim aguardar os mais recentes, em bem maior número, e por alguns anos até que possa-se conhecer como irá evloluir o quadro e assim apresentar trabalhos bem fundamentados, com números ricos e que componham uma amostragem significativa. Somente desta maneira é que um estudo sério pode ser feito e os orgãos oficiais de saúde autorizarem e os conselhos de medicina reconhecerem um tratamento como válido e seguro.

Temo que a busca desenfreada de alternativas a lentes de contato que o paciente não se adapta e aos tratamentos cirúrgicos como implante de anéis intracorneanos e o transplante de córnea possa levar alguns pacientes a procurarem especialistas que ofereçam este tratamento em clínica privada, onde seguramente o tratamento não deve ser gratuito. É importante saber se a clínica faz parte de algum estudo experimental que esteja aplicando a técnica com a finalidade de pesquisa e experiência, pois assim sendo, o paciente pode optar entre submeter-se ou não ao tratamento, ele será devidamente informado dos possíveis resultados e prognósticos.

Em alguns países, o tratamento conjunto de implante de anel intraestromal e a aplicação posterior do crosslinking já vem sendo feita a poucos anos, e embora os websites destas clínicas e estudos mostrem somente bons resultados, existe também resultados adversos, e é importante que isso seja esclarecido. Na internet é possível encontrar relatos de pequenas complicações. Uma outra questão que deve ser vista com grande cautela, é o tratamento múltiplo, de implante de anel, crosslink e posterior cirurgia refrativa por ser muito agressivo para a córnea. O implante de segmentos de anéis, embora minimamente invasivo, produz os dutos na córnea para receber as pequenas próteses em forma de meia-lua. O crosslink raspa o epitélio da córnea ou aplica álcool diluido para remover a camada mais fina do epitélio da córnea, preparando a córnea para receber a Riboflavina que se ligará ao colágeno de córnea com a exposição da córnea a raio ultravioleta A, de forma absolutamente controlada, com tempo de aplicação, distância precisa e intensidade do raio controladas. Variações nestas variáveis podem levar a resultados diferentes ou a intercorrências imprevistas, como haze corneano. Imagine então esta córnea agora será submetida a fotoablação por excimer laser, já existem relatos dessa terceira técnica sendo utilizada em alguns casos, possivelmente o PRK (Photo Refractive keratotomy) que é aplicada diretamente na córnea, pois o tratamento de cirurgia refrativa mais popular existente é o Lasik (Laser Assisted In Situ Keratomileusis) e já se sabe que esta técnica provoca o enfraquecimento da resistência biomecânica da córnea, pelo fato de que quando o microcerátomo (pequeno intrumento de alta precisão que produz um flap na córnea) é aplicado, ocorrem cortes de fibras importantes na córnea, que provocam o enfraquecimento corneano. Naturalmente existem técnicas mais sofisticadas como o EpiLasik, entre outras, que produzem flaps mais rentes ao epitélio corneano, evitando parte da perda desta resistência biomecânica.

As cirurgias refrativas são contraindicadas no ceratocone, em alguns casos de pacientes com indicação cirúrgica para a cirurgia refrativa ocorrem seqüelas como ectasia induzida pós-cirúrgica, também conhecida como ceratoectasia (keratectasia) pós-cirurgia refrativa. Deve haver extrema cautela dos profissionais e pacientes para o advento destes tratamentos múltiplos e sequenciais. As autoridades e orgãos profissionais como o CFM e o CBO devem atuar juntos com a finalidade de criar protocolos de segurança para a aplicação destes novos métodos de tratamento. O exemplo dos EUA é um caminho saudável a seguir.

Obs. Informações sobre os assuntos tratados no texto acima estão disponíveis na internet, cabe apenas procurar por eles para confirmar que são procedentes e que poderão ser ratificadas por especialistas.

22 comentários:

ajuda disse...

Ola gostaria de saber quais os hospitais que fazem esse tratamento gratuito

Direção disse...

No Brasil a UNIFESP, no Instituto da Visão (SP), a UFRJ no Rio (RJ), o Hospital Oftalmológico de Sorocaba - HOSBOS (SP) entre outros.

Algumas clínicas privadas já estão realizando o tratamento do CXL ou Crosslinking, mas não creio neste caso que seja gratuito.

Tássia disse...

Vi a resposta pro comentário anterior que já existe tratamento em algumas clinicas particulares. Gostaria que vc me informasse algumas aqui em São Paulo para que eu possa buscar o tratamento mais adequado pra mim. Grata
(tassiadel@ig.com.br)

Direção disse...

Tássia,

Sugiro que você procure a UNIFESP, e converse com a Dra. Denise Freitas, ela é a responsável pelo estudo do Crosslinking na Escola Paulista de Medicina (IPEPO Instituto da Visão). Ela poderá lhe dar uma boa orientação.

Débora Lin hai disse...

Olá, bom dia! Tenho ceratocone e uso lentes há 17 anos. Moro no Rio de Janeiro e gostaria de informações dos hospitais ou clínicas que fornecem este tratamento gratuito. Você sabe me informar alguém a quem devo procurar? Fico grata desde já!

Att.
Débora

Direção disse...

Débora,

No Rio de Janeiro o Dr. Jose Guilherme Pecego (Clínica Pecego) realiza este procedimento. Possivelmente existem outros profissiosnais qualificados, apenas sei que esse é um cirurgião experiente e também adapta lentes especiais no ceratocone.

nani disse...

Oi estive no médico ontem p fazer revisao, ate por q me apareceram novamente ais tais moscas volantes, q eu ja sabia de ante-mao q nao tem cura, mas mesmo assim eu precisava de uma revisao, e fiquei apavorada qando o médico me perguintou se os outros medicos q haviam me atendidos tinham falado p mim q eu tinha o tal cerato, dai eu disse a ele q nao: pois ele ficou impressionado comigo pois me disse q nao sabe como eu ainda enxergo, pois tenho numa vista como um monte alto e depois desce, o q nao entendi muito bem, e ele tambem me disse q sou abençoada , por ainda enxergar, me fez 4 exames q nao sei lhes dizer os nomes, apenas sei o de refração, o unico q conheço, o ultimo exame foi um q ele ccolocou uma gota em cada olho e viu com uma especie de canetinha nao sei dizer q exam eh este. e me disse p eu retornar em 6 meses, e aumentou o grau de meus oculos, pois eram bem baixinhos o grau de cada um o q ele ficou + impressionado ainda, e me dissse q ja na minha idade estou assim, eh q provavel q continuarei assim enxergando normal como sempre
Minha pergunta eh? Tenho 43 anos, tem possibilidades ainda de eu perder a visao neste meu olho q 2º ele eu deveria ter apenas 10% de visao e ele disse q o cerato está em 100 tomado no olho, fiquei e estou apavorada, mas ele me deu entender q se ja está assim a tanto tempo pode ser q nao piore. Será verdade? pelo amor de Deus me respondam. obrigado Elaine

Direção disse...

Elaine,

O fato de você receber o diagnóstico apenas aos 43 anos e mesmo assim ainda ter uma acuidade visual bastante satisfatória é ótimo. Em primeiro lugar, a julgar pelas informações que você forneceu é possível "supor" que o ceratocone ainda é de estágio primário e deverá ficar assim pelo fato de que o ceratocone começa sua estabilização a partir dos 25 anos de idade do paciente, e tende a estabilizar de fato entre os 30 e 40 anos.

É importante acompanhar e revisar com o seu oftalmologista ao menos uma vez ao ano, fazer eventualmente uma topografia de córnea para avaliação.

Fique tranqüila, você não irá perder a visão.

Anônimo disse...

Meu nome é Claudia, na verdade gostaria de saber se aqui em Salvador Bahia tem agum profissional, Hospital ou cínica que realize a cirurgia do anel de ferrara ou o crosslink. Até o momento só encontrei paga e é muito cara.

Meu e-mail é: claugdantas@yahoo.com.br
Grata!

Luciano Bastos disse...

Prezada Cláudia,

Pelo SUS eu desconheço quem faz o tratamento com estas técnicas mas sei que o Instituto de Olhos Freitas é uma clínica especializada em ceratocone. A Dra. Mônica Freitas poderá orientá-la caso você deseje.

Atenciosamente,

Luciano Bastos
Em colaboração com o blog C&T

Maria Aparecida disse...

Bom dia! Me chamo Maria Aparecida, tenho 33 anos, moro em São José dos Campos, SP, e tenho ceratocone, so fiu diagnosticada a doença a 1 ano e 8 meses e nesse periodo ela evoloiu bastante no olho esquerdo so estou com 10% da visão neste olho, tenho conveio porém não cobre o tratamento, e tambem não tem nenhum médico credenciado que trate a doença, gostaria de saber se existe algum convenio que de a cobertura do tratamento ou se consigo o tratamento pelo SUS. Por favor estou aflita com a situação e não tenho condições de pagar este tratamento...agradeço desde já!

http://www.iosb.com.br disse...

Olá Maria Aparecida,

Dependendo do convênio eles cobrem a consulta mas não o tratamento ou a adaptação de lentes de contato.

Em SP existem algumas instituições que fazem tratamento pelo SUS, como a Unifesp e o Hospital da PUC, assim como o Hospital Oftalmológico e Banco de Olhos de Sorocaba. Entretanto você deve ter em mente que nem sempre há indicação de tratamento cirúrgico do ceratocone, é preciso uma avaliação. Na maior parte dos casos a indicação de adaptação de lentes de contato especiais é o caminho para o reestabelecimento da reabitação visual para que o paciente possa retomar suas atividades.

A Unifesp me parece ser indicado nesse caso, procure pelo Instituto da Visão e informe-se melhor.

Boa sorte,

Luciano Bastos
Em colaboração com o blog C&T

mantém disse...

Olá...
Tenho ceratocone e fiz o transplante de córnea, no olho direito, em 02/12/2009 no HOSBOS de Sorocaba. Dia 04/02/11 terei consulta para saber o que será feito no olho esquerdo.
O Hospital me informou, referente ao olho transplantado, para procurar um oftalmo, para adaptação de lente ou óculos...
Gostaria de indicação, aqui em SP, gratuito ou com preços mais acessíveis. Se, for gratuito, qual é o caminho (da UNIFESP) por exemplo...se precisa ter encaminhamento, onde procurar, endereço...etc...
Obrigado pela ajuda...pois está dificil de encontrar o caminho..
Marcos
ma.vini@msn.com

Luciano Bastos disse...

Olá Vini,

O próprio Hospital Oftalmológico e Banco de Olhos de Sorocaba pode através do depto de lentes de contato fazer testes com lentes especiais para pós-transplante de córnea. Inclusive eles adaptam a lente RGP Ultraflat que é excelente para estes casos lá. Procure a Dra. Leila Marciano Pinto ou a Dra. Luciane Silva.

Outra boa opção é de fato a UNIFESP no Instituto da Visão (IPEPO), tem como ligar e agendar consulta, é só informar-se.

Atenciosamente,

Luciano Bastos
Em colaboração com o Blog C&T.

Anônimo disse...

Alguma chance de fazer implante de anel gratuitamente em BH/MG? Tenho ceratocone há 20 anos. Já fiz transplante de córnea do OE a recebi indicação de colcação de anel intra estromal no OD. Lentes de contato já não se adaptam bem, mas a cirurgia particular custa mais de 4000,00. Aguardo uma luz...

Anônimo disse...

OLÁ SOU MAE DE UM ADOLESCEBTE PORTADOR DE CRATOCONE, ELE TBM JA FEZ O TRANSPLANTE GRATUITO NO BOS, E FOI INDICADO PARA O USO DO ANEL, O CUSTO ESTA EM TORNO DE DOIS MIL REAIS EM CADA OLHO PORQUE O SUS NAO COBRE

maricley disse...

ola gostaria de saber se em Brasilia tem algum hospital que faz esse tratamento gratuito e como posso adiqueri ajuda do governo a compra das lentes pos esta acima das minhas ondiçoes obrigado

Anônimo disse...

Olá.
Morei no RJ e, em consulta com uma médica, fui diagnosticado com ceratocone.
Porém, não resido mais lá.
Gostaria de saber se há algum oftalmo que entende desta área e que atenda no vale do paraíba.
Obrigado.

rose disse...

OI,eu sou Rosiléia,moro no em de Minas Gerais.Tenho ceratocone e gotaria de saber de clinicas e hospitais que fazo tratamento gratuito.Você pode me ajudar? Fico grata!

Danielle disse...

Olá,
Recebi recentemente o diagnóstico de Ceratocone, faço acompanhamento semestral com o oftalmologista, pois tenho alta miopia (-13.0 em cada olho), já tive ruptura de retina e agora o ceratocone resolveu dar o ar da graça. O médico me disse que o ceratocone ainda está no início, pois como faço tratamento constante e pode ser diagnosticado rapidamente, porém me informou que não "preciso" fazer um tratamento específico agora, e apenas no caso de piora é que farei algum tratamento. Essa informação me deixou um tanto quanto preocupada, pois devo esperar a doença piorar para tomar alguma atitude? Não seria melhor começar um tratamento imediato afim de que ela não progrida, já que possuo outras doenças.
Atualmente estou me mudando para o Rio de Janeiro e não conheço médicos por lá, será que poderia me indicar um especialista?

Aguardo retorno.

Obrigada pela atenção.

Danielle

Anônimo disse...

Olá gostaria de saber se me Brasilia há clinicas que fazem tratamento gratuito

Anônimo disse...

Ola!
Meu maridi tem ceratocone. Gostaria de saber como encontrar tratamento pelo SUS no Rio de Janeiro?